É triste, mas o amor dói, construindo e destruindo situações, cobrando, esperando retorno na mesma proporção.
O amor dói por ser único e específico de cada um para cada seu, numa seleção que a razão desconhece.
Sim, o amor tem suas próprias leis, argumentando através dos sentimentos, ignorando as negações na vontade que se faz maior, acalmando anseios, deslizando no leito os delírios do amor. Sentimento que doa e cobra numa troca persistente e exigente prolongando o êxtase dos amantes.


Alda Andréia