Pai nosso, que estais no céu.E de lá nos ampara e olha
E, por vezes chora, por este povo teu.
Que à tua imagem e semelhança
Não honra o nome de sermos filhos teus.
Santificado é o teu nome
Abençoada é a tua luz
Luz que vence as trevas ocultas na alma negra do homem.
Vem a nós...!
E ao vosso reino...?
De promessas e desculpas
De certo já estará cheio.
Muito pedimos e reclamamos
Na maioria somos felizes e não enxergamos
E, com o coração repleto de arrependimento.
Seja feita a tua vontade.
Vontade certa, por mais que nos pareça errada.
Assim seja, na terra como no céu.
O pão nosso de cada dia
Nem sempre se tem hoje
Para muito este é o pão da vida
Para outro este é o pão da fome.
Perdoai as nossas ofensas
Mas não como nós perdoamos
Pois não somos tão capazes
Somos simplesmente humanos.
Assim, livrai-nos de todos os males.
Males que nós criamos.
Pecados herdados de um longo passado
Passado presente e insistente
Que nos deixa a incerteza
De um futuro proeminente
Amém..


Alda Andréia