Oh! Tempo que chora e entristece às horas deste dia.
Eis a tua dor igual a minha?
Teria a morte também levado a sua alegria?
O culpado é o tempo que não retrocede
E não me deixa fazer diferente.
Onde esta minha fé?
Preciso me enganar, me iludir e assim acalentar esta dor.
Como eu queria que minhas lágrimas fossem iguais as suas
E assim, quando derramadas no solo provocassem o milagre da vida.
Bem sei que a minha dor
Só comove a mim própria.
Mas, sem pensar no meu provável egoísmo
Era uma vida, linda e inocente
Que na água conheceu a morte fria...



Alda Andréia