A noite chega
Mansa, fresca
Anunciando-se silenciosa.
O som suave e terno
Chama os amantes.
É hora de proporcionar,
Sentir...
Pairando no vício mais primitivo.
Não há racionalidade ou tabus
Só a sede.
E guardados pela luz tênue da lua
Todos procuram o bálsamo.
O elixir que nos faz
Homens e mulheres
Animais...esquecidos de ser, humanos.



Alda Andréia